Miss Argentina, sem moldura

Se fosse mesmo Argentina, a música deveria ser um tango. Mas é um bolero, e o que me diverte é que Iggy Pop talvez acredite mesmo que fez um tango. Daí me lembro de gringos falando que a capital do Brasil é Buenos Aires. Sempre ouço essa música pensando que houve um esforço para serContinuar lendo “Miss Argentina, sem moldura”

A rima se faz sem virar a esquina

A rima se faz sem virar a esquina A rima é um tapete desarvorado A rima, à espreita, se descortina A rima é um portão vestido emprestado. A rima é rica, tem ares de outono A rima se doa a árvores à toa A rima se dói; quando se magoa, A rima logo procura outraContinuar lendo “A rima se faz sem virar a esquina”

[notas insones] Jayme Ovalle

Ovalle foi às lágrimas quando estava na casa do Bandeira e descobriu que o próprio Bandeira fazia seu café – e não uma esposa, namorada ou mesmo uma empregada. Bandeira obviamente nunca tinha visto a própria solidão do modo como Ovalle a viu, talvez nem mesmo a considerasse solidão. Mesmo assim, pegou o mote eContinuar lendo “[notas insones] Jayme Ovalle”