Portfólio

Taipa e Palavra – Exposição fotográfica realizada em outubro e novembro de 2021, no Museu Histórico e Cultural de Jundiaí – Solar do Barão (Jundiaí, 2021)

Taipa e Palavra é uma exposição que une fotografia digital e textos breves sobre o patrimônio histórico material e imaterial de Jundiaí. Ruas, rios, praças, locais de trabalho e de trânsito diário aparecem ocupados e vivenciados pela comunidade local, buscando despertar novos olhares para alguns de nossos espaços já conhecidos.
Durante todo o mês de outubro, os visitantes dos Jardins do Solar poderão traçar suas próprias rotas pelo espaço, acompanhados de imagens, citações literárias, registros orais e memória jundiaiense. A produção reúne, além de imagens, textos autorais de Isabella Ferraro, membro do Conselho Municipal do Patrimônio Cultural (Compac) e pesquisadora de patrimônio cultural desde 2012.
A mostra parte do conceito da taipa, técnica construtiva típica do período colonial, para celebrar a materialidade de alguns lugares mais emblemáticos da cidade (como, por exemplo, o próprio Solar que abriga a exposição), inspirando reflexões que também envolvem o patrimônio imaterial ou taipas já demolidas, mas que permanecem vivas através de fotos ou palavras – ou seja, através da História. Por meio de desafios espalhados pelo jardim, o visitante é convidado a exercitar seu olhar para o rico patrimônio local e compartilhar seus próprios cliques com a autora.

Disponível on-line em https://cultura.jundiai.sp.gov.br/exposicoes/taipa-e-palavra/

Taipa e Palavra (Jundiaí 2021)

LUGAR COMUMUm guia incomum para quem tem uma cidade em comum (Jundiaí, 2020)

Um e-book que também é um guia incomum para quem tem um lugar em comum – no caso, Jundiaí, cidade do interior paulista pós-ferroviário. Projeto contemplado pela Lei Aldir Blanc e em vias de se tornar um app sobre o patrimônio local – para jundiaienses e também para visitantes. Em interação direta com o leitor, o livro se baseia em tarefas – ou “missões” –  que o convidam a localizar um ponto de interesse indicado, bem como a escolher outras atividades de exploração urbana. Enquanto sugere locais para visitação em temas macro (jardins, praças, prédios, clubes, museus, monumentos, templos, rios e demais elementos urbanos), agrega fatos e curiosidades jundiaienses (ferrovia, imigração, cerâmica e industrialização, urbanização), despertando aspectos arquitetônicos, históricos, artísticos e culturais. Visite o perfil colaborativo e oficial do e-book no Instagram @lugarcomumjundiai

NOVAS ROTASInvestigações Urbanas em Jundiaí 2020

Escrevi este e-book em 2020, pela Lei Aldir Blanc, e com base no material que criei durante minhas caminhadas e investigações pela cidade onde vivo – Jundiaí, interior de São Paulo. É um livro sobre o olhar. Eu o organizei com a intenção de despertar em cada leitor, jundiaiense ou não, um olhar de viajante e de investigador para um local já conhecido. Feito em meio à pandemia de COVID-19, período de deslocamento reduzido, restrições espaciais e limitações de convívio, Novas Rotas propõe um olhar pessoal para o próprio jardim, como forma de reconhecer sua terra e seu papel nela. Partindo dos conceitos de flânerie, urbex e memória, o material guia o leitor por rotas que a autora fez na própria cidade. Novas Rotas investiga como alguns debates atuais – por exemplo, escravidão, industrialização e imigração – se traduzem na cidade, propondo novos olhares para locais corriqueiros e familiares.

Disponível em: https://cultura.jundiai.sp.gov.br/wp-content/uploads/2021/03/e-book-Novas-Rotas-Isabella-Ferraro-2020.pdf

CALENDÁRIO SOAPHA(Jundiaí, 2012)

Um dos meus primeiros trabalhos em Patrimônio, Memória e Fotografia. A imagem “Casa da Família Malpaga” foi selecionada para o projeto Retratos de Jundiaí, promovido pelo Gabinete de Leitura Ruy Barbosa em parceria com a SOAPHASociedade de Amigos do Patrimônio Histórico e Artístico, edição 2012/2013. Após exibição no Gabinete, foi publicada no calendário anual da Sociedade e citada em 2016, quando houve mobilizações populares contra a demolição deste imóvel eclético do século XIX, localizado no perímetro histórico da cidade.

%d blogueiros gostam disto: